28.3 C
Manaus, BR
23 de setembro de 2021
BRASIL SAÚDE

Omar Aziz diz que Nise Yamaguchi mentiu em depoimento à CPI

COMPARTILHE COM SEUS AMIGOS

O presidente da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Covid no Senado, Omar Aziz (PSD-AM), acusou nesta 3ª feira (1º.jun.2021) a médica Nise Yamaguchi de mentir ao colegiado quando ela ratificou falas anteriores em que defendia o tratamento precoce como forma de salvar vidas na pandemia e que, por isso, a vacinação de toda a população não seria necessária. Ele chegou a pedir para que, quem estivesse assistindo à CPI, não ouvisse os dizeres da médica.A CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Covid no Senado ouve a médica Nise Yamaguchi, defensora do uso da cloroquina no tratamento do coronavírus. A médica é apontada como conselheira do presidente Jair Bolsonaro (sem partido).© Sérgio Lima/Poder360 01.jun.2021 A CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Covid no Senado ouve a médica Nise Yamaguchi, defensora do uso da cloroquina no tratamento do coronavírus. A médica é apontada como conselheira do presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

Não escutem o que ela está dizendo. Todos os brasileiros precisam de duas vacinas. […] Quem está nos vendo neste momento não acreditem nela, tem que vacinar. A vacina salva, tratamento precoce não salva”, disse Aziz. O senador disse ainda que a “voz calma da médica convence as pessoas”.

Diversos senadores se manifestaram no mesmo sentido e pediram que a sessão fosse encerrada e que Yamaguchi fosse chamada novamente na condição de convocada. A médica fala à CPI como convidada, em que não era obrigada a comparecer. Na primeira situação, há um compromisso legal de se dizer a verdade, sob a possibilidade de haver punição em caso de declarações falsas.

A discussão começou após o relator da comissão, Renan Calheiros (MDB-AL), exibir vídeos em que Yamaguchi diz que o “tratamento precoce salva vidas” e que, por isso, não seria “preciso vacinar a população aleatoriamente porque há tratamento precoce para a covid-19”. A médica ratificou sua declaração e tentou explicar que se tratava de duas questões diferentes. “Eu disse que vacina não é tratamento, vacina é prevenção. Uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa”.

O senador Marcos Rogério (DEM-RO) saiu em defesa da médica. “Não cabe a quem não possui conhecimento técnico questionar as opiniões de uma cientista com mais de 40 anos de trabalho prestado, de respeito da sociedade. […] Estão faltando com respeito a depoente”, disse.

Senadores também reclamaram da falta de objetividade das respostas da médica. O senador Alessandro Vieira (Cidadania-ES) disse em suas redes sociais que as respostas longas da médica fazem parte de uma “estratégia”.

Questionada por Renan sobre suas considerações acerca do atraso na compra de vacinas, Yamaguchi disse não saber o que houve por não ter participado de conversas sobre o assunto. Ela considerou, no entanto, que o Brasil tem “vacinado muita gente”. Até agora, no entanto, apenas 10% da população foi vacinada com as duas doses das vacinas aplicadas. Yamaguchi disse ainda considerar que o atraso no início do tratamento precoce é que tem determinado a quantidade de mortos pela covid-19 no país.

Assista ao momento:Reprodutor de vídeo de: YouTube (Política de Privacidade, Termos)

Publicações relacionadas

Revoltada, Sara Winter detona Bolsonaro na web: ‘Não sei mais quem ele é’

Redação

Chuva causa alagamentos, desabamentos de muros e deslizamento de barranco em Manaus

Redação

A CHINA ESTÁ EXPORTANDO CARNE HUMANA CONTAMINADA COM O CORONAVÍRUS?

Redação

Deixe um comentário